-20%
Metabolize 4 500mg 60cápsulas

Metabolize 4 500mg 60cápsulas

  • REF. 17140
  • Disponibilidade: Encomendar Manipulação
  • De R$158,70
  • Por R$126,96

  • R$ 126.96
  • 6x de R$21,16 sem juros
  • ou R$120,61 à vista 5%
Metabolize 4 é um nutracêutico oral, capaz de suprir as necessidades diárias de elementos essenciais ao nosso organismo, promovendo equilíbrio e auxiliando emagrecimento.
Mais formas de pagamento
1x de R$ 126,96 sem juros R$ 126,96
2x de R$ 63,48 sem juros R$ 126,96
3x de R$ 42,32 sem juros R$ 126,96
4x de R$ 31,74 sem juros R$ 126,96
5x de R$ 25,39 sem juros R$ 126,96
6x de R$ 21,16 sem juros R$ 126,96
Calcule o freteNão sei meu CEP

DETALHES DO PRODUTO

DESCRIÇÃO:

Metabolize 4  é um nutracêutico oral, um verdadeiro suplemento nutricional, capaz de suprir as necessidades diárias de elementos essenciais ao nosso organismo, os quais não conseguiram ser absorvidos somente com a alimentação, promovendo um grande equilíbrio fisiológico.

Composição: Magnésio: 130 - 140 mg Zinco: 6,5 - 7,5 mg Cromo: 25 mcg - 40 mcg Probióticos: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus gasseri e Lactobacillus rhamnosus (1,0x109 UFC - 2,0x109 UFC)

Nutrição é um conjunto de processos, que envolve a ingestão, digestão, absorção, metabolismo e excreção dos nutrientes, com a finalidade de produzir energia e manter as funções do organismo.

Os nutrientes são substâncias contidas nos alimentos que fornecem energia para o funcionamento do corpo humano. Podemos dividir em macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são os carboidratos, proteínas, lipídeos, e os micronutrientes são as vitaminas e minerais. Os carboidratos fornecem a energia necessária para que você realize as atividades do dia-a-dia. As proteínas atuam na reestruturação de células e tecidos, crescimento e manutenção do esqueleto e síntese de enzimas e hormônios. E os lípideos são o transporte das vitaminas lipossolúveis, A, D e K e também fornecem energia. As vitaminas e os minerais são substâncias reguladoras, que desempenham papel importante no bom funcionamento de intestino, contribuem na formação de ossos, dentes, cartilagens e no processo de absorção do organismo

A suplementação nutricional sem dieta adequada tem suas propriedades comprometidas, pois há benefícios que só conseguimos com a combinação de determinados alimentos, em sua forma natural, e pessoas com maus hábitos alimentares perdem grandes oportunidades de absorver nutrientes. Além da prática de exercícios físicos que favorecem o bom funcionamento do nosso metabolismo, previne doenças cardiovasculares, melhora a oxigenação celular, alivia o stress, ajuda a manter a forma por atuar diretamente na queima da gordura estocada.

Magnésio É um dos micronutrientes mais abundantes no organismo, aproximadamente 30% do magnésio existente no indivíduo adulto está nos músculos e 60% no esqueleto. Existem mais de 300 enzimas diferentes, distribuídas pelo organismo, que são ativadas pelo magnésio, o que evidencia a sua importância no metabolismo humano. É essencial ao metabolismo da glicose, à produção de energia celular, à síntese de proteínas e do DNA. Evidências indicam que o magnésio exerce funções no desenvolvimento, distribuição e função de células imunes. Além disso, é necessário para a função normal dos leucócitos, sendo importante para a resposta imune, como co-fator na síntese de imunoglobulinas (função de anticorpos), estando envolvido na inflamação e apoptose (morte celular programada). A sua deficiência pode afetar numerosos aspectos do sistema imunológicos. É um mineral essencial que é necessário para uma ampla variedade de funções fisiológicas. O magnésio preenche a cavidade do intestino delgado com água por efeito osmótico. O acúmulo de água produz distensão, aumenta o peristaltismo e a evacuação intestinal. A deficiência de magnésio pode resultar em distúrbios de absorção intestinal.

Cromo - Ajuda a manter os níveis normais de glicose (açúcar) no sangue; - Queima gordura e acelera a perda de peso corporal; - Ajuda o corpo a usar de forma mais eficaz a insulina; - Essencial no processamento de proteínas (efeito anabólico); - Reduz riscos de doenças cardíacas. Alguns cientistas catalogaram o cromo como “o milagre dos anos 90”, o uso de suplementos diários desse mineral previne diabetes, queima gordura localizada e acelera a perda de peso como queimador de gorduras. Interfere no metabolismo das gorduras, de modo que diminui os níveis de colesterol LDL (“mau”) e aumenta os níveis de colesterol HDL (“bom”), reduzindo assim o risco de doenças cardíacas. Afasta a vontade de comer guloseimas. Impede que o carboidrato vire gordura, isso por que ajuda a diminuir drasticamente o desejo exagerado por doces, que viram moléculas de que se concentram na barriga, e atua no controle de apetite, duas façanhas que tornam o emagrecimento bem mais fácil. O Cromo faz com que o carboidrato seja aproveitado como fonte de energia e não fique armazenado sob a forma de gordura. A ingestão interfere positivamente na perda de peso.

Zinco  - A importância deste mineral foi demonstrada com a descoberta de processos metabólicos envolvendo o zinco em diversas atividades enzimáticas. Ele participa do metabolismo energético como componente catalítico de mais de 300 metaloenzimas nos tecidos humanos, e como componente estrutural de diversas proteínas, hormônios e nucleotídeos. O zinco tem um efeito estimulatório da lipogênese em adipócitos de ratos, similar à ação da insulina, e esse efeito é somado quando os dois são incubados em conjunto. A partir desses dados, tem sido bastante discutido o fato de que a importância do zinco na interação zinco/adipócito se deve ao efeito sobre o aumento da capacidade de ligação da insulina aos seus receptores. Uma outra hipótese poderia estar relacionada a uma maior sinalização do sistema PPAR nestes tecidos por influência do zinco. A participação do zinco na homeostase da glicose começou a ser investigada ainda na década de 60, observaram uma redução na tolerância à glicose sem alteração na produção de insulina em resposta à infusão de glicose em ratos deficientes em zinco.

COMPOSIÇÃO DO METABOLIZE® 4 PLUS A deficiência de zinco poderia inibir os eventos intracelulares pós-receptor da insulina, o que resultaria em redução na tolerância à glicose. Outra hipótese levantada por vários pesquisadores seria de que o efeito da deficiência de zinco sobre o metabolismo periférico da glicose estaria relacionado ao papel deste mineral como antioxidante biológico. O aumento da peroxidação lipídica, comum em indivíduos diabéticos, seria atribuído à redução da atividade da superóxido dismutase, dependente de zinco, o que favoreceria o aparecimento de alterações na fluidez da membrana e na ação da insulina sobre o transporte de glicose. Os estudos realizados in vivo para avaliar o efeito do zinco sobre a tolerância à glicose demonstram que a terapia com esse mineral pode melhorar a sensibilidade à insulina. No entanto, segundo os autores, mais investigações seriam necessárias para definir o papel da depleção intracelular de elementos com propriedades insulinomiméticas na redução da sensibilidade à insulina, normalmente presente no diabetes mellitus tipo 2, na obesidade, na hipertensão arterial.

Os probióticos  - são considerados alimentos funcionais. Microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde resultando na melhora do balanço intestinal através da colonização do intestino por outras espécies, do controle do colesterol, das diarréias e da redução do risco do desenvolvimento do câncer. Têm a função de estimular o sistema imunológico e alterar o mecanismo microbiano, aumentando desta maneira, significativamente, o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos e fortalecendo o sistema imunológico, através de uma maior produção de células protetoras. O intestino humano é um tubo elástico, divido em intestino delgado e intestino grosso ou cólon. O intestino delgado é o local onde os nutrientes são digeridos e absorvidos, e o cólon é a porção responsável pala absorção de água e alguns minerais (eletrólitos). Em condições normais, inúmeras espécies de bactérias estão presentes no intestino. Estas bactérias são conhecidas como microbiota intestinal e exercem influência considerável sobre diversas reações bioquímicas que ocorrem neste local, além de impedir que microrganismos potencialmente patogênicos se multipliquem e afetem a saúde, principalmente do trato gastrointestinal. Porém, em situações de desequilíbrio, estas bactérias benéficas podem ter seu número diminuído, favorecendo o crescimento de bactérias prejudiciais à saúde. Os probióticos alimentam-se de algumas fibras alimentares e de lactose, transformando-as em ácidos graxos de cadeia curta, que são utilizadas pelas próprias células intestinais como fonte de energia. Desta forma, além de favorecer a integridade das células do intestino, agem como um importante auxiliar no tratamento dos sintomas da intolerância à lactose, pois este carboidrato, apesar de não ser digerido no intestino delgado dos intolerantes, ao chegar ao intestino grosso será rapidamente consumido pelas bactérias probióticas e não causará os sintomas desagradáveis da intolerância a lactose como a diarréia, a distensão abdominal e as cólicas intestinais. Alimentos contendo probióticos, podem ser consumidos pela grande maioria dos portadores de intolerância a lactose, pois no próprio alimento, estas bactérias iniciam a “quebra” da lactose, facilitando a digestão do alimento.Probiótico “bactéria do bem”


Sabendo disso, o Metabolize 4® Plus conta com um blend exclusivo de probióticos: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus gasseri e Lactobacillus rhamnosus.


Novos lactobacillus: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus gasseri e Lactobacillus rhamnosus.


Os Lactobacillus acidophilus são bactérias que habitam naturalmente o trato gastro-intestinal animal. São bactérias grampositivas e homofermentativas, isto é, convertem a glicose em ácido lático por meio do processo fermentativo. A produção de ácido lático cria um ambiente desfavorável ao crescimento de outros microrganismos, protegendo o intestino de infecções e outras patologias. São utilizados no tratamento de diarreias, colites, irritação do cólon, colostomias. Há estudos que comprovam a eficácia de Lactobacillus acidophilus na melhorara dos sintomas de intestino irritável, fortalecimento do sistema imune e redução de colesterol.

Os Lactobacillus gasseri são bactérias que habitam naturalmente o trato reprodutivo inferior de mulheres saudáveis. São produtores de um antibiótico chamado lactocilina, que é responsável pela inibição do crescimento de outros microrganismos patógenos. São estudados e utilizados no tratamento da obesidade, promovendo perda de peso e diminuição da gordura abdominal e também diminuição do colesterol no sangue.

Os Lactobacillus rhamnosus são bactérias gram-positivas heterofermentativas que comumente se organizam em cadeias. São comumente encontradas no trato geniturinário de mulheres saudáveis, prevenindo crescimentos microbianos disbióticos. São capazes de sobreviver ao ácido do estômago e a bile do intestino, sendo utilizados para colonizar o trato digestivo e equilibrar a microbiota intestinal. Estudos indicam que Lactobacillus rhamnosus são eficazes na perda de peso, queda no hormônio regulador do apetite, a leptina, bem como uma concentração menor da bactéria intestinal relacionada à obesidade


INDICAÇÃO:

- Melhora do equilíbrio nutricional metabólico para perda de peso;

- Perda de circunferência abdominal;

- Diminuição da gordura corporal;

- Melhora dos índices de colesterol total, triglicérides, Glicemia e pressão arterial


COMPOSIÇÃO:

Metabolize 4         500mg

Excipiente qsp 1 cápsula


MODO DE USO:

Ingerir 1 dose  após o café da manhã ou almoço.


VALIDADE:

6 meses.


VENDA SOB  PRESCRIÇÃO DE PROFISSIONAL HABILITADO, PODENDO SER NOSSA FARMACÊUTICA,     RESOLUÇÃO     586/2013   -   CONSELHO DE FARMÁCIA 


BIBLIOGRAFIA:

MORAES, Fernanda P. Alimentos Funcionais e Nutracêuticos: Definições, Legislação e Benefícios á Saúde. Revista Eletrônica de Farmácia Vol 3 (2), 109-122, 2006.

BIESEK, S.; ALVES, L. A.; GUERRA, I. Estratégias de Nutrição e Suplementação no Esporte. Barueri, São Paulo: Manole, 2005. COZZOLINO, S.M.F. Biodisponibilidade de Nutrientes. Barueri, São Paulo: Manole, 2005.

TIRAPGUI, J. Nutrição, Metabolismo e Suplementação na Atividade Física. São Paulo: Atheneu, 2005.

WILLIAMS, M.H. Nutrição: para saúde, condicionamento físico e desempenho esportivo. 5.ed. Tamboré, São Paulo, Manole, 2002.

http://www.anvisa.gov.br/alimentos/comissoes/tecno_lista_alega.htm: RDC 269/2005.

SANCHEZ, M. et al. Effect of Lactobacillus rhamnosus CGMCC1.3724 supplementation on weight loss and maintenance in obese men and women. British Journal of Nutrition, Vol. 111, Issue 8, pp. 1507-1519, 2014.

METTS. J. et al. Lactobacillus acidophilus, strain NAS (H2O2 positive), in reduction of recurrent candidal vulvovaginitis. Journal of Applied Research. Vol.3 No 4, p. 340-348, 2003.

RASTMANESH R., High polyphenol, low probiotic diet for weight loss because of intestinal microbiota interaction. Chem. Biol. Interact., 2011.

KADOOKA, Y. et al. Regulation of abdominal adiposity by probiotics (Lactobacillus gasseri SBT2055) in adults with obese tendencies in a randomized controlled trial. Eur. J. Clin. Nutr., 2010.

KANG JH. et al Anti-Obesity Effect of Lactobacillus gasseri BNR17 in High-Sucrose Diet-Induced Obese Mice. PLoS One, 2013. ALONSO BURITI, Flávia Carolina; ISAY SAAD, Susana Marta. Bactérias do grupo Lactobacillus casei: caracterização, viabilidade como probióticos em alimentos e sua importância para a saúde humana.

ALAN, Caracas , v. 57, n. 4, p. 373-380, dic. 2007.

BRAAT, H. et al. Lactobacillus rhamnosus induces peripheral hyporesponsiveness in stimulated CD4+ T cells via modulation of dendritic cell function. American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 80, Issue 6, p. 1618-1625, 2004.

GOMES, A. M. P.; MALCATA, F. X. Agentes probióticos em alimentos: aspectos fisiológicos e terapêuticos, e aplicações tecnológicas. Biotecnologia Alimentar: Boletim de Tecnologia, v. 101, p. 12-22, 2002.

KUISMA, J. et al. Effect of Lactobacillus rhamnosus GG on ileal pouch inflammation and microbial flora. Aliment. Pharmacol. Ther. 2003.

OGAWA, A. et al. Lactobacillus gasseri SBT2055 suppresses fatty acid release through enlargement of fat emulsion size in vitro and promotes fecal fat excretion in healthy Japanese subjects. Lipids Health Dis., 2015.