Espinheira Santa ext seco 500mg 90cápsulas

Espinheira Santa ext seco 500mg 90cápsulas

  • REF. 3447
  • Disponibilidade: Pronta Entrega
  • R$49,90

    R$ 49.90
  • 2x de R$24,95 sem juros
  • ou R$47,41 à vista 5%
Formas de Pagamento
1x de R$ 49,90 sem juros R$ 49,90
2x de R$ 24,95 sem juros R$ 49,90
Total: R$ 49,90
Calcule o freteNão sei meu CEP

DETALHES DO PRODUTO

DESCRIÇÃO:

Espinheira Santa Ext seco (Maytenus ilicifolia Martius.)

Grande parte dos estudos realizados com a Espinheira Santa foram realizados no Brasil. Um dos primeiros estudos mostrou que a maitenina, que é um dos principios ativos da Espinheira Santa,  apresenta atividade antibacteriana in vitro frente às bactérias Gram positivas, tais como: o Bacillus subtilis, Stafilococcus aureus e Streptococcus spp.

A maitenina também apresentou atividade inibitória de sarcomas em experimentos realizados.

Em todos os casos, a redução das lesões foi entre 40 e 60% durante o período do experimento, não se observando toxicidade gastrintestinal e nem alterações hematológicas.

Cinco anos mais tarde, pôde-se constatar a atividade antitumoral do alcalóide maitansina.


INDICAÇÃO:

Auxuliar no tratamento de úlceras gástricas, gastralgias e dispepsias. É usada também como antiasmática  e antitumoral. 


COMPOSIÇÃO:

Espinheira Santa ext seco 500mg

Excipiente    qsp             1 cápsula


MODO DE USO:

Ingerir 1 cápsula 1 a 3 vezes a dia.


VALIDADE:

6 meses.


TOXICIDADE / PRECAUÇÕES:

De acordo com as investigações feitas pela Escola paulista de Medicina (Unifesp), Espinheira Santa não apresenta efeitos tóxicos nem teratogênicos em animais de laboratório tanto em administração crônica ou aguda. Somente na administração intraperitoneal, observaram-se alguns efeitos sobre o SNC, como um estado depressivo gerais. Porém a maitenina provocou alguns quadros de dermatites localizadas quando administrada via intradérmica.


CONTRA-INDICAÇÃO: 

É contraindicado o uso durante a gravidez e na lactação.


VENDA SOB  PRESCRIÇÃO DE PROFISSIONAL HABILITADO, PODENDO SER NOSSA FARMACÊUTICA,     RESOLUÇÃO     586/2013   -   CONSELHO DE FARMÁCIA 


BIBLIOGRAFIA:

ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Ediciones. Buenos Aires. 1998.

TESKE, M.; TRENTINI, A. M. Herbarium Compêndio de Fitoterapia. Herbarium. Curitiba. 1994.

COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. 1994.

SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos Livraria Editora. 2000.

LEITE, J.P.V. et al . Constituents from Maytenus ilicifolia leaves and bioguided fractionation for gastroprotective activity. J. Braz. Chem. Soc., São Paulo , v. 21, n. 2, 2010 .